musica-no-shopping

Música no Shopping: Porque e quando criar um Projeto Musical

Na maioria dos casos, a sobrevivência e o sucesso de um shopping estão diretamente ligados ao fluxo de pessoas que circulam pelo local. É aí que entra a música no shopping!
Mesmo com as diversas características de ticket médio, de uma forma geral, quanto mais pessoas, maior é a oportunidade de vendas. Do mesmo modo, quando a circulação do público cai, as vendas acompanham esse movimento.

Já ouvimos diversas razões para essas quedas de vendas nos shoppings: momentos de crise, dólar alto, cenário da economia mundial, a temida concorrência… Também são diversas as estratégias de Marketing para que isso não aconteça, mas a verdade é que nem sempre essas ações trazem um resultado satisfatório.

Investe-se um valor alto em condições melhores, como estacionamento, promoções, formas de pagamento, mas todas diretamente ligadas às vendas. É preciso oferecer um atrativo mais relevante no processo de decisão do cliente, ou seja, diversificar e aumentar as razões que o fazem querer ir ao Shopping. E para isso, a área de eventos é perfeita!

Quando criar um Projeto Musical?

Geralmente, são duas as razões que levam uma equipe de Marketing a pensar em utilizar a música no Shopping:

  • Aumentar o fluxo de pessoas;
  • Entreter o fluxo já existente.

A primeira caminha mais próxima ao objetivo de aumentar a circulação de pessoas e gerar consumo no interior do shopping, aumentando as oportunidades de vendas para os lojistas em geral. É aquele cenário em que o cliente potencial está em casa em um domingo à tarde e descobre que aquele artista que tanto gosta tocará no shopping. Resolve ir até lá conferir e acaba aproveitando para fazer um lanche e conferir as promoções das lojas.

Já a segunda, segue na linha de aumento percepção de valor da sua marca, ou seja, quando você gera um diferencial para aquele cliente e ele se identifica com o seu estilo de vida. Você acaba se tornando uma referência na vida dele, se aproximando e tornando-o fiel e recorrente.

Ao criar um ambiente agradável para um programa de lazer em família, por exemplo, você estará atraindo novas pessoas e melhorando a visão que todo o público possui sobre o shopping em que trabalha.

Por que música no shopping?

Há cada vez mais opções de entretenimento disponíveis por aí: pequenas feiras em praças e parques, eventos ao ar livre, teatro, shows, festivais. Você não pode simplesmente ficar sentado e esperar que as pessoas decidam passar uma tarde passeando pelos corredores de lojas.

Quando o fluxo de pessoas está abaixo do esperado, é preciso criar uma alternativa de entretenimento relevante que incentive o consumo naquele local. É uma ação indireta, visando atrair as pessoas pela opção de assistir a um show legal com serviços e produtos que acompanhem o programa. Consequentemente, isso gera novas oportunidades de vendas para os lojistas.

Por outro lado, imagine que você não tenha problemas com fluxo. Já imaginou se todas essas pessoas pudessem melhorar a percepção de valor delas sobre o shopping que você trabalha? A música traz, na verdade, um momento mais propício ao consumo, que faz as pessoas esquecerem os problemas e acessarem uma emoção diferente, como se apenas aquele momento importasse.

Em qualquer um dos cenários citados acima, a música é inserida como um diferencial. Quem já imaginou ir ao shopping para assistir a um show? Trata-se de uma inovação recente, ou seja, o momento ideal para se pensar em inserir a música no shopping é agora!

Conheça os 4 erros cometidos pelo Marketing em projetos musicais de Shoppings e descubra como desenvolver essas variáveis, aumentando os resultados para o time de Marketing.

0 1049

Leave a Reply