projetos-musicais-de-shoppings

4 erros cometidos pelo Marketing em projetos musicais de shoppings

Muitos projetos musicais de shoppings se limitam à contratação de um artista qualquer, que cobre o mais barato possível, e o colocam para tocar no meio da praça de alimentação em um sábado à noite. Os resultados, obviamente, não aparecem. Mas não poderia ser diferente, não é?!

O sucesso de um projeto musical em um shopping depende de vários fatores: estudo de metas e objetivos, planejamento de ações e resultados, seleção de artistas adequados à ocasião, qualidade do som e um bom relacionamento entre os envolvidos.

Baseado nisso, identificamos 4 erros cometidos pelo marketing em projetos musicais de shoppings. Você sabe quais são? Vamos ver!

1. Não fazer um estudo do objetivo para projetos musicais de shoppings

Se um projeto é executado sem um objetivo definido, então como é que serão medidos os resultados? É como sair em uma viagem sem um destino definido, e, após chegar a um local qualquer, reclamar dos custos e do grau de satisfação.

Portanto, a primeira medida a ser tomada pelo marketing é definir qual é o objetivo do projeto musical. É atrair mais público ou entreter o que já frequenta o shopping? É atingir um público que não costuma frequentar o shopping ou se relacionar com os clientes atuais? Se trata de um grande evento em que um artista de maior projeção vai garantir o retorno de mídia ou um evento semanal em que um artista de menor destaque entrega uma boa apresentação com uma melhor relação de custo X benefício?

Um projeto musical pode trazer muitos benefícios para o shopping, mas é preciso definir as metas e objetivos. Para isso, é necessário um bom planejamento!

2. Selecionar os artistas por gostos pessoais

Imagine só se o responsável pela contratação dos artistas for um grande fã de música instrumental. Sempre que possível, ele dá um jeito de contratar uma banda de seu gosto. Mas será que o público alvo gosta desse estilo musical? Ou isso está prejudicando o resultado do projeto?

A seleção dos artistas deve ser feita com base no objetivo proposto no planejamento, observando o perfil do público-alvo. Se o projeto musical pretende atingir um perfil familiar, pode ser que uma banda de Rock não seja a mais indicada, por exemplo.

Lembrando que é necessário estudar cada ocasião, já que inovações são sempre boas surpresas, desenvolvidas a partir de pensamentos “fora da caixa”!

Por esse motivo, é tão importante contar com uma Direção Artística de qualidade. Através desse serviço, é possível indicar a atração mais adequada ao perfil do seu evento, levando em conta o gênero musical, a formação (solo, trio, banda), o nível de intensidade do som (volume) e a projeção (artista mais ou menos conhecido).

3. Achar que só os especialistas percebem a qualidade do som

Por mais que grande parte do público não saiba identificar exatamente o que está errado em um sistema de som ou como poderiam corrigi-lo, é muito comum que notem algo desconfortável na apresentação musical – o que afeta diretamente a percepção de qualidade.

Da mesma forma, o artista, muito mais sensível à qualidade de som, precisa estar confortável em relação ao que está ouvindo para dar o melhor de si no palco.

Para tirar o melhor do artista e entregar o melhor resultado possível para o público, é essencial uma boa estrutura de som. Esse problema pode ser facilmente corrigido através da contratação de uma empresa especializada em Gestão Técnica.

4. Acreditar que os artistas pedem muitos “mimos”

É muito comum que as pessoas que não trabalham no meio musical achem que os artistas pedem muitos “mimos”, sem compreender as necessidades que este profissional possui para fazer um bom trabalho.

Um bom relacionamento com o artista contratado é muito importante para o sucesso de um evento. Para isso, há uma série de aspectos que merecem atenção: disponibilizar um camarim, deixar visível o cronograma e oferecer uma estrutura e equipe técnica confiável. Esse é um cenário básico para que ele se sinta confortável, possa confiar na boa estrutura que vai utilizar e entregue um ótimo resultado no palco do seu shopping.

Perceba que todos os 4 erros citados acima podem ser mais comuns do que você pensava. No entanto, é preciso vê-los como um investimento para o marketing de seu shopping e não, como custos. Pense nisso!

Você já cometeu algum desses erros? Quer investir em um projeto diferenciado? Entenda o que é Gestão Técnica e saiba como renovar o Projeto Musical no seu Shopping!

0 1017

Leave a Reply